quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Casar é bom?

Eu sempre faço posts pro blog com base naquilo que tenho vivenciado ou visto na mídia/redes sociais sem ter uma sequência lógica. Outro dia em uma conversa com uma amiga ela me perguntou se casar era bom, estranhei a pergunta porque pra mim é uma resposta lógica, respondi que sim e perguntei o por quê da pergunta. Então ela me disse algo assim "porque leio o teu blog e lá tu só descreve problemas", kkkkk. Então resolvi criar esse post pra não apavorar as solteiras, namoradas e noivas e falar um pouquinho do porque gosto de falar das dificuldades do dia-a-dia.
   O fato de eu descrever muitas dificuldades do dia-a-dia aqui não é porque o casamento é ruim, particularmente para mim esta sendo a melhor fase da minha vida, mas minha intenção é alertar quem esta fazendo esta escolha a não se iludir pensando que será um mar de rosas. Muitas pessoas iniciam um casamento enxergando somente o lado romântico da coisa, tem também esse lado, mas não podemos ignorar o lado das responsabilidades e dificuldades.
      Minha intenção nada mais é do que conscientizar e ajudar as noivinhas a entrarem em um relacionamento de forma sensata evitando assim a possibilidade de um possível divórcio e feridas emocionais. É assim com várias coisas na vida: não da pra pensar em um diploma sem pensar nas inúmeras noites gastas estudando, não da pra pensar em comprar um vestido justo sem pensar na cinta apertada que terá que usar pra ele ficar lindo em você, não da pra pensar em ter um filho sem pensar nas inúmeras fraldas de cocô que irá ter que trocar, e não da pra casar sem pensar nos conflitos do dia-a-dia e responsabilidades que irá assumir.
       Digo isso porque quando decidimos casar nos achamos "as maduras", eu também era assim, eu dizia "estou bem consciente de que a maior parte das responsabilidades da casa ficam para a mulher, não me importo, vou fazer tudo muito feliz". É, até o quarto mês agente ainda lava a louça e passa a roupa sorrindo, mas conforme o tempo vai passando as coisas não são mais assim(você gosta de lavar a louça e passar a roupa na casa da sua mãe? Duvido! Ai você pensa "ah, é porque não é a MINHA casa". Não é por isso não, é porque é chato mesmo.). Mas mesmo sem aquele ânimo todo você precisa continuar cumprindo as suas obrigações de mulher do lar, mesmo com sono você precisa levantar mais cedo pra passar o uniforme dele, mesmo com cólica você precisa tomar um comprimidinho e levantar pra lavar a louça que esta acumulada, mesmo querendo comprar aquele vestidinho lindo você precisa abrir mão pra manter as contas em dia e conseguir ter uma poupança de garantia.
        Converse com seu namorado, se ele é o tipo de homem que ja diz no namoro que não serve pra tarefas domésticas, que não vai ajudar, que não vai abrir mão do futebol três vezes na semana, entre nesse relacionamento consciente(as vezes eles falam rindo e a mulherada acha que é brincadeira, cuidado!É sério!). Não vá murmurar depois e querer separar, no namoro temos a chance de nos conhecer e identificar no outro o que não esta de acordo com a nossa mentalidade, casamento não é destino é escolha. Meu pai diz que eu tive sorte em casar com um cara como o TJ(é, ele é um ótimo profissional, um ótimo servo de Deus, e um ótimo marido sim!), e eu digo que não foi sorte não, foi escolha. Antes de namorar muito observei, muito conversamos, discutimos, nos conhecemos, mudamos juntos e nos ajustamos. Não pule esse período tão importante que é o namoro por estar "abafada pra casar", não importa sua idade, sua condição social, espere! Vai valer a pena!
     A verdade é que tudo que tem valor precisa de esforço pra ser conquistado e mantido, e o seu casamento não será diferente. Mas em meio as dificuldades e obrigações esta o amor e a felicidade de estar ao lado de quem se ama, e isso torna as responsabilidades mais leves e os compromissos mais prazerosos porque não fazemos isso pra qualquer um, mas fazemos para o nosso amor.



Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.
Efésios 5:33

Um comentário: